Como Pescar

Passaremos algumas informações básicas de como pescar. Quando chegar a um pesqueiro, se informe com a tripulação quais os tipos de peixe da época e outros que podem freqüentar o pesqueiro, assim você determina o tipo de linhada, tamanho de anzol e tipo de isca. Lembrando que o compromisso da Mar Azul é a locação da embarcação, levar os pescadores nos melhores pesqueiro da região, zelar pela segurança de todos os passageiros e tripulação e atendimento a bordo. Cabem aos turistas pescadores, as técnicas de captura, os equipamentos adequados e a consciência ambiental.

Anchovas e bicudas, podem ser fisgadas em diversas camadas, desde o fundo até a superfície, muitas vezes relacionadas a temperatura da água. Você pode descobrir essa posição do cardume soltando a isca até o fundo e recolhendo até o ponto em que haja a ação, a tripulação pode ajudar na localização através do ecobatímetro. A paciência também é muito importante numa pescaria, os cardumes podem se deslocar de posição e retornar em seguida. O horário também importa, as melhores são na boca da noite e no amanhecer do dia, porém isso não é regra, há também os horários de parada de marés. As épocas mais apropriadas para captura dessas espécies são os meses de maio a outubro.
Dourados, prejereva e Cações, são peixes que na nossa região aparecem entre os meses de novembro a abril, quando a temperatura da água está mais quente (acima de 20 graus), proporcionado pela presença da Corrente Brasil, com águas muito clara (mar azul). São peixes de passagem, por isso é usual adotar a técnica da pesca com a embarcação a deriva, e pescados em meia água e na superfície.
Outros peixes, tais como: olho de cão, pargo, cioba, robalo, badejo, pescada goete, garoupa, etc...,são encontrados próximos a estruturas de fundo (pedras, lajes, naufrágio, cascalho, ilhas), neste caso a embarcação fica fundeada e a captura é feita mais no fundo.

NÓS DE PESCA

Existem vários tipos de nós, com várias finalidades e resistências, veja as principais: Jornal pesca dinâmica ou jornal do sartorato e link abaixo:
http://jcornolo.br.tripod.com/nos_para_pesca.htm
http://www.katembe2.com/nos1.htm

LINHADA

A linhada mais usual é a colocação de anzol, com mais ou menos 30 cm de empate de aço e girador na ponta da linha, deixando o chumbo tipo oliva logo acima. Serve para pesca das anchovas, bicudas, dourados, cações, espadas etc... Há quem prefira usar linhas (multi ou mono filamento) mais grosso como líder.
Outra linhada usual são os chicotes com 2 ou 3 anzóis para os peixes de fundo, e chumbada na ponta da linha.
O peso da chumbada mais usado varia de 20 a 30 gramas, mas vai variar de acordo com a correnteza, sendo recomendável que o pescador tenha em sua tralha, chumbadas com peso de 20 a 100 gr.
A bitola das linhas recomendadas é entre 0,35mm e 0,45mm.

ISCAS NATURAIS

Iscas naturais mais utilizadas: Sardinha charuto e camarão bruto ou limpo (importante é que não tenha conservante); a lula é utilizada na temporada de verão, época em que são capturadas com maior abundancia. As iscas vivas não usuais pela dificuldade de captura e conservação. Quando há algum pedido, é feito a encomenda diretamente ao pescador e a conservação é por conta do interessado.

ISCAS ARTIFICIAIS

As iscas artificiais mais utilizadas são as de meia água para pesca na modalidade de corrico, quando o barco está em movimento. Quando fundeado, utiliza-se os jigs. A pesca de arremesso não é muito recomendada, devido a cobertura da embarcação que atrapalha o lanço, e também por questão de segurança, devido a quantidade de pessoas no convés.
Mostramos aqui algumas das centenas de tipos de iscas artificiais, para sua escolha:
Veja testes da isca Rapala
http://blogdapesca.blogspot.com/2008/02/demonstrao-das-iscas-artificiais-rapala.html

Zagaia Lures: http://www.zagaialures.com.br/jumpingjig_z1.htm
Yo-Zure: http://www.yo-zuri.com/#
Moro Deconto: http://www.iscasartificiais.com.br/